Polícia Federal criminaliza rádios comunitárias

Caros Companheiros!!!

 Gostaria de informá-los que no dia 26/08/2008 fui “convidado” a comparecer no Departamento de Policia Federal de Brasília/DF para prestar esclarecimentos sobre o ofício n° 2288ª/08-DPF/URA/MG da Polícia Federal de Uberaba/MG, originado do IPL 483/06-DPF/URA/MG, no ofício indicava algumas perguntas a serem realizadas:

 1)      Conhece a entidade ABRAÇO?

2)      Desde quando?

3)      Qual a sua atividade naquela entidade?

4)      Facilita de alguma forma que rádios clandestinas voltem a funcionar mesmo sem autorização da ANATEL?

5)      Estimula de alguma forma resistência a ordens judiciais? Ou seja, defende que as rádios resistam à ordem judicial de busca e apreensão?

6)      Foi o autor do e-mail de fls. 20?

7)      Em caso negativo como o senhor explica que tal e-mail foi encaminhado ao Procurador da República?

8)      Qualquer outro questionamento julgado pertinente pela autoridade deprecada.

 Para recordação, esse inquérito surgiu por uma manifestação constantes em um email que provavelmente eu tenha enviado para diversos grupos de discussão da internet, sobre o caso das apreensões ocorridas em Uberaba/MG e o pedido de prisão da Companheira Fátima Gomes.  http://74.125.45.104/search?q=cache:9DOenkSqM6UJ:listas.rits.org.br/pipermail/cris-brasil/2005-July/002566.html+%22maria+de+f%C3%A1tima+gomes%22+alerta&hl=pt-BR&ct=clnk&cd=6&gl=br

 Graças ao trabalho o trabalho que desenvolvemos como Dr. Gleibe Terra a companheira Fátima (Presidente da ABRAÇO/MG) foi absolvida da denuncia de colocar rádio comunitária no ar sem outorga governamental http://processual-mg2.trf1.gov.br/Processos/ProcessosSecaoOra/ConsProcSecaopro.php?SECAO=UB&proc=200538020019390

 Insatisfeitos com o resultado da demanda, agora buscam a responsabilização de dirigentes da ABRAÇO Nacional (mesmo estando fora da coordenação nacional desde 12/2007)

 Não satisfeitos com o processo de resistência de nossa emissoras comunitárias por todo o Brasil o MPF, ANATEL e PF iniciaram uma perseguição a nossas lideranças regionais (os casos de Horizontina/RS e Teixeira de Fritas/BA são emblemáticos), do ano passado para cá a intenção é responsabilizar as lideranças nacionais, uma afronta as garantias constitucionais e criminalização do Movimento Social.

 Divulgar esse fato é fundamental neste momento que se debate a questão do MST e Via Campesina, para demonstrar a prática dos órgãos de repressão.

 ABRAÇO FORTE

 JOAQUIM CARVALHO

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: